Um Pouco Mais de Silêncio

by Bratislava

/
  •  

1.
01:29
2.
05:20
3.
4.
05:25
5.
6.
04:22
7.
06:04
8.
04:15
9.
10.
11.
04:42
12.
05:20

credits

released September 29, 2015

Bratislava é Victor Meira (voz, teclas, sintetizadores), Alexandre Meira (guitarras, backing vocals), Sandro Cobeleanschi (baixo) e Lucas Felipe Franco (Bateria).

Um Pouco Mais de Silêncio foi gravado em 2015 nos estúdios Lamparina, Fluxxx, Freak, flapC4 e Family Mob. Produzido por Victor Meira e Matschulat. Mix e Master por Matschulat (Londres, ago/set 2015).

Links:
bratislava.com.br
fb.com/bratislavabr
instagram.com/bratislavabr
soundcloud.com/bratislava

© Bratislava, 2015

tags

license

all rights reserved

feeds

feeds for this album, this artist

about

Bratislava Sao Paulo, Brazil

Rock alternativo

contact / help

Contact Bratislava

Streaming and
Download help

Track Name: Intro
Ah, desde então não se sabe do ladrão
se roubou o trem ou se escolheu ficar com o alazão
na empreitada abriram fogo, houve sangue e confusão

Cartazes se espalham nas paredes por aí
o ladrão sumiu no meio da fumaça
Track Name: Serpentina
Uma máscara sem alma
botei na minha cara
pra criar um deus
dançando alegre no chão do sol
recebo flores em chamas
hoje não tem ninguém em casa

Meu rosto escondido
pra me libertar de mim
e criar um deus
será que tanto poder é ruim
será que não é bem assim
hoje vou dançar

Estados inteiros ficam sem dono
toda essa gente em volta do trono
cidades inteiras fenecem
e não se sabe como
Não se sabe como
acontecem momentos assim
uma cegueira ruim
de homens que regem com sono

Máscaras sem alma
na cara de todo mundo
panteões e orgias pagãs
delícias de um lugar imundo
dançando alegres
pés descalços no chão
não tem nada de errado com isso
um ritual de purificação
Os rostos sorrindo
vão se libertar, vão matar um deus
não acham que tanto poder é ruim
sabem que não é bem assim
hoje vão torcer e vibrar

estados inteiros ficam sem dono
toda essa gente em volta do trono
cidades inteiras fenecem
e não se sabe como
Não se sabe como
acontecem momentos assim
uma sequencia de atitudes ruins
de homens que regem com sono
Track Name: Deze7 Relâmpagos
E não se dorme mais
na praia
17 relâmpagos transformaram
areia em vidro

Não dá pra descansar
no pavimento duro
lá não se dorme mais
Track Name: Vermelho
Sonhei com um tumor no céu
um mal terrível, bonito e vermelho
que nascia antes do sol
e na cidade toda ele bocejava
com sua boca feita de espelho
Track Name: Ingestão (part. Guizado)
Quanto mais eu falo com você
menos há pra se descobrir
menos areia, mais mar
menos areia

Quanto mais o mundo muda
mais junto a gente fica
em ilhas cada vez mais insólitas
Track Name: Yorick
Me falta coragem todo dia
durmo bem, sem pensar
sem notar a própria covardia
não sei se sou
há melhores por aí
não tenho peito nem pra desistir

Me pego escapando com frequência
me distraio ao pensar
ao sentir no ar a incoerência
daqui de onde eu tô
sinto o tempo correr
me sinto ficando pra trás, tentando não me perder

Sei, não somos mais que meros grãos de sal
e que a terra em que piso devora tudo no final
às vezes o sonho me abre uma fresta
percebo o buraco no chão e a forma da vida que é mesmo um borrão

Me falta coragem todo dia
durmo bem, sem pensar
sem notar a própria covardia
não sei se sou
há melhores por aí
não tenho peito nem pra desistir

Já que eu sou feito de terra viva
Queimo tudo que toco, é de lava minha saliva
às vezes o sonho me abre uma fresta
percebo o buraco no chão e a forma da vida que é mesmo um borrão
Track Name: Ando Morto
Andava sozinho na minha cidade de dentro
e o efeito do corticóide arrefecia
duas bacias vazavam já quase vazias
e o efeito da tua falta me malfazia

Nunca quis admitir o fim
e é por isso que eu ando morto
tá todo mundo torto em sua própria viagem
cê não tá aqui e eu tampouco

Eu moro sozinho na minha cidade de dentro
há nuances suaves de cores nos lugares que frequento
existe apenas uma pessoa na terra
e já faz tempo, que eu não ouço dela
Track Name: Dialua
Me esforço pra correr no teu chão de giz
um rastro de memória que criou raiz
teu afago estranho cavou um buraco sem tamanho
no meu peito

Meu paço é lerdo no teu chão de giz
um resto de memória que criou raiz
teu afago estranho cavou um buraco sem tamanho
no meu peito

não tem jeito, eu vi que não tem
um salto colossal, demoro pra pisar no chão

Dialua
um sol de pele escura
flutua espalhando raios de amor e luz
Noitesol
a lua beijando o farol
um espelho que espalha boas ondas em nós

Numa jornada nada breve, eu ando leve, sem gravidade
o solo cinza, o teto escuro, o mundo inteiro sem muro
e eu não paro de cair

Até que a sombre me vele
até que o tempo me leve
Dialua
Track Name: Aprendendo a Andar
Eu sempre soube voar
sempre fui de velejar o céu
ver as coisas lá de cima ver a gente passar

eu sempre soube voar mas te encontrei no chão
e pra te acompanhar eu vou aprender a

andar
com os dois pés no chão
estender fortalecer as canelas
cuidado pra não torcer o joelho
um passo logo atrás do outro não é assim tão fácil
acho que eu só presto mesmo é pra voar
Track Name: Nuvem de Mercúrio
O canto dos nossos olhos
o mesmo som na mesma cabine
amanhecendo silêncio em longa metragem
durante a viagem vou destruindo a gente...

ô nega já chega do teu ziriguidum
que meu peito não aguenta mais
tanto artifício
falácia armada mais pesada que nuvem de mercúrio
num céu cinzento, ardendo num dia escuro

Hoje perdurei a incerteza

O canto dos nossos olhos
o mesmo som na mesma cabine
amanhecendo silêncio em longa metragem
durante a viagem vou destruindo a gente
ciente da tua macumba costureira

que meu peito não aguenta mais
tanto artifício
falácia armada mais pesada que nuvem de mercúrio
num céu cinzento, ardendo num dia escuro

de dentro da tua boca
eu vi sair um cosmo novo
um polvo feito de escuridão
um bicho doido, um treco novo que eu nunca ouvi
e eu sei, que nessa escuridão
sei que você também não
Track Name: Ruídos
Um pouco mais de silêncio
um pouco mais de silêncio
lá fora o trator operava ruídos
lá fora o trator operava em silêncio

Um pouco mais de tratores lá fora
e o silêncio operava ruídos
um pouco mais, um pouco mais de silêncio
lá fora o trator operava ruídos
lá fora o trator operava em silêncio

Um pouco mais, um pouco mais de silêncio
lá fora o trator operava ruídos
Track Name: Voa
Toma esse par de asa e voa pra onde EU quiser

Cê pensa, que você tá vivo
andando por aí, sempre de castigo
criando no próprio umbigo
um mundo confortável que te dê abrigo

A saudade de casa te perturba
e a imagem de uma casa não se monta
a cabeça já tá tonta de girar
sem memórias, sem lembrar de casa

Cê nunca se sentiu tão longe
tão longe dela
tão longe de casa