Panda \ Voa (ao vivo)

by Bratislava + Kiwi Qualquer

/
  •  

1.
04:05
2.
05:40

about

Live session gravada com Kiwi Qualquer no estúdio flapc4, São Paulo, em outubro de 2014.

A ideia de gravar essa sessão se deu pela afinidade dos dois projetos, nas letras cheias de referências imagéticas, figuras fantásticas e brincadeiras com personagens da infância e com a cultura pop. Dessa semelhança e desse alinhamento natural, Bratislava e Kiwi resolveram se juntar pra fazer algo em comum: VOA, composição do Bratislava, ganhou rimas do Kiwi Qualquer, e PANDA, composição do Kiwi Qualquer, ganhou um arranjo de banda feito pelo Bratislava.

credits

released 03 November 2014

tags

license

all rights reserved

feeds

feeds for this album, this artist
Track Name: Panda
Meu cérebro sente o relato estrépito da Janis Joplin durante a sua overdose
Não quero me alistar no teu exército, pra vocês tenho lordose
Vivo com o irreal em simbiose
Então nem acho tão estranho morder cabeça de morcego igual ao ozzy

Por amar a depressão mais que o Tarantino ama pés
Deixou a pressão te controlar, agora é sorte ou revés
Navio fantasma ja partiu, dá uma chegada no convés
Ou abraça a escuridão sorrindo igual a Xuxa dando pra dez Pelés

A estrela do Silva ainda não começou a brilhar
Isso só mostra como temos muito jogo pra jogar
Cês não conseguem me achar, to no triângulo das bermudas
Vômitando rimas que lembram episódios de Hora da Aventura

Avisa pro Krueger que ele tem um competidor a altura
Decapitando ursos de pelúcia até cair minha dentadura
Antes da primeira ruga, comece a planejar sua fuga
Ou sua vida vira só um seriado trash que ta passando na madruga

Mas que parada é essa na camada de ozônio?
Pelo que a professora disse...
São só meus hormônios
ãh ãh ãh
Irônico
Eu to num manicômio assistindo a um filme cômico
[2X]

Bem vindo a aula que você faltou no colegial
Pra experimentar drogas que te tiravam do estado normal
Explodindo bombas hidropônicas na hora do recreio
Planejando manejar placas tectônicas sem o menor receio
E foi aí que Bruce Lee te deu uma banda e ficou feio

Num caminhão roubado que eu removi o freio
Tirando o biscoito, só comendo o recheio
Do lado de uma coroa acabada e rica
E em cima de mim a lua caindo, sorrindo igual uma mâniaca

Escrevendo rima com seringa, a caneta tava sem tinta
E eu só lembro do passado... HEY ARNOLD ERA PICA
Do nada a velha se agita e grita chorando mas...
Não da pra falar com flores, a Alice tava só viajando!

Ainda bem
Que isso só teria acontecido se eu tivesse explodido
Aquela bomba atômica embaixo daquele prédio implodido
E tivesse invertido a realidade prum universo fictício
Gerado através de uma brecha de um destino metafísico

Mas que parada é essa na camada de ozônio?
Pelo que a professora disse...
São só meus hormônios
ãh ãh ãh
Irônico
Eu to num manicômio assistindo a um filme cômico
Sonhando com meu amor platônico
E pra vida um foco hedônico
Essa é a história de um poeta anônimo
Que depois de se sufocar com seu própio vômito
Continuou vivendo com um coração biônico
Track Name: Voa
Assistindo ao vivo o quarto meteoro que cai essa semana
Estragando minha paisagem enquanto to deitado na grama
Entende o drama que existe pra você viver rodeado de plástico?
Quando aperta a grana e o mundo ri da tua cara de um jeito ácido

Esse ar terceiro mundista é a colmeia de onde eu vim
As vezes tragicomédia, uma abelha que é parte de mim
Se vai ter que ter caos, aproveita que esse é o estopim
Da guerra contra os demônios de terno que fazem churrasco de querubim

Cada dia é um anjo que cai, ontem fui eu, hoje você
Não tem ninguém ficando pra trás
Satanás ri de mim jogando game boy
E o papai noel de shopping nunca vai querer te dar uma calói

Não vai querer se iludir em virar super herói
Pra acabar na posição do vilão depois
Hoje presta atenção nas imagens quando cê for sonhar
Pra amanha construir as asas que cê sempre quis inventar

Toma esse par de asas e voa pra onde eu quiser

São cinco da manhã, hoje foi tudo diferente
E quando vi tava ali do lado do cacto fluosfluorescente
Quando chovia era bom, porque tinha água na nascente
Hoje não vai ter bolo, apenas areia e serpentes

No mundo dos sonhos componho meu trono
Conversando com Fela Kuti sobre proclamar a independência de onde eu moro

Acordo no oasis da onde minha essência veio
Pra poder subir de novo naquele caminhão que roubei e ainda ta sem freio
Com um monte de peça reciclada na mala voando na estrada
Vendo os anjos caindo da minha janela abaixada com o vento na cara
Depois de ler as instruções que eu mesmo escrevi
E construir a máquina que eu queria que desse pra existir

Eu me afastei daquela esfera vendo formigas trabalhando
Não acreditando que um dia seria capaz de estar voando e rir
Porque ontem, prestei atenção nas imagens quando fui sonhar
E hoje eu tenho as asas que eu SEMPRE quis inventar então:

Toma esse par de asas e voa pra onde eu quiser

Desde os primórdios o homem cria, desde a roda, desde o fogo
Da agonia pensar que o mundo é um ovo, quando queria que fosse
Frango frito, como dizia o sonho que eu tinha tido
Embaçado e esquisito, uma esfinge me fazendo de tolo, de novo

E o teu ar condicionado virou o furacão de borboletas
O que mais você quer? Apartamentos são gavetas
Com certeza sinto falta da minha vida lá em baixo
Mas hoje aqui do alto percebo como os anjos que caem dão saltos